Intensidade


 f_loveagainm_701f98e Estava no youtube procurando uma música do Pato Fu para ilustrar meu próximo texto no She´s Like The Wind e revirando daqui e dali parei nesse clip da cantora Rosana. Ah! Não me chame de saudosista e nem de velha. "Saudade palavra triste quando se tem um grande amor..." vive cantarolando meu papai. Mas nessa música, em especial,  sinto uma intensidade na letra e na voz da cantora.

Suspirei várias e várias vezes ao ouví-la. E me pergunto: Quanto custa lutar por esse amor tão bem expresso musicalmente? Quantos de nós esperaria a vida inteira? Quantos, escolheriam o cantinho, o amor, numa cabana? Quantos cansaram de esperar e  sucumbiram; resolveram aproveitar as oportunidades sinalizadas, a estabilidade, a segurança.

E o seu amor? Àquele amor que acelerava teu coração descompassadamente? Onde ele foi parar? Se é que ele algum dia chegou na tua vida. E se chegou porque ele foi embora? Só quem já sentiu um nó na garganta...àquele nó que te deixa sem voz, com os olhos lagrimejados, vai saber responder. Talvez não tivesse que ser. Por que não? E quem disse que não era possivel ser? É possivel acreditar quando se ama.

Ah...esses amores que ficaram em algum lugar pedidos...são pedacinhos que se guardam uma vida inteira numa cabana imaginária. Será que trouxe dentro de mim pedaços de alguém? Será que deixei em alguém pedaços de mim?

Na época da música, com certeza não vivia nenhum grande amor...mas sonhava com a chegada dele e já sentia saudades dele. Era o meu presságio interior querendo viver e sofrer por um grande amor. De querer sentir  a expectativa da chegada e a dor da partida. Era apenas uma garota...que não amava os Beatles e nem os Rolling Stones.

 

"Antigamente, os músicos cantavam sonhos..."

(comentário de um usuário do youtube, sobre o video)

 

 

CUSTE O QUE CUSTAR
(Michael Sullivan – Paulo Massadas)


Guarde um pedacinho de você
Pra lembrar de mim a vida inteira
Pede ao coração não esquecer
Nossas emoções e brincadeiras
Sempre que você quiser estou contigo
Pra você desabafar um ombro amigo
Num cantinho, num amor, numa cabana
É possível acreditar quando se ama
Por isso
Tudo pode acontecer
Faço parte de você
Quando o coração decide não tem jeito
Sonho o que sonhei pra mim
Fogo de um amor sem fim
Nada poderá mudar o que está feito
Custe o que custar
Nem que leve a vida inteira
Eu quero ter você
Só quem ama não se cansa de esperar
Como eu te amo, te amo...

 

4 comentários:

adao braga disse...

Não somos velhos, as músicas são boas mesmo. Esse povinho que não se lembra, é porque tem memória curta!

Julie disse...

Que lindo falar de amor!
Estudei no CMM do rio e me apaixonei pelo Andre Barroso do 8ºano. Eu nao fui correspondida. O neutro soprava. Era uma identidade inexpressiva dele para mim. E bastava ele me olhar que eu gostava mais. Era um prazer que sentia delicado demais para minha grossa humanidade que sempre fora feito de conceitos grossos.
E assim, permaneci, o amando por alguns meses, e curti, como vivo, relembrar o que senti. Porquê dentro de mim é amor.
E como voce diz no texto: quem ama nao se cansa de esperar. Eu esperei, nao tive o amor, mas e o amor que eu sentia, nao era amor? Entao eu tive amor...

Anônimo disse...

Posso dizer que trago em mim pedaços de alguém até hoje, alguém que caminha comigo mesmo a distância, que sinto a cada instante fazendo bater meu coração. Ao longo já de alguns bons anos ele, o amor, vive em mim e faz de mim uma pessoa melhor, que busca crescer e elevar-se como ser humano. Abençoado o amor! Abençoada seja a pessoa amada! Feliz de quem o tem dentro do peito mesmo que seja um amor solitário.

Beth disse...

Que lindo o depoimento de vocês...coisa linda e sensivel. Da minha parte ainda me faço perguntas sobre meus pedaços espalhados e dos pedaços de outros, que ficaram....

Mas me sinto feliz ao lado de quem estou e se permite acertar meus cacos e transformar em lindo mosaico.

beijos

Postar um comentário

Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.
(Oscar Wilde)