Perdas & Ganhos

|

liberdade

"...Que no espelho posto à nossa frente na hora de nascer a gente ao fim tenha projetado mais do que um vazio, um nada, uma frustração: um rosto pleno, talvez toda uma paisagem vista das varandas da nossa alma...."

Lya Luft, in Perdas & Ganhos

 

 

Ganhei de aniversário, não me lembro o ano, o livro Perdas e Ganhos - de Lya Luft. Ganhei de uma amiga, uma linda amiga, uma ex-amiga -  talvez não seja ex, talvez não haja apenas mais talvezes a serem vividos, ditos, esclarecidos.

Estranho! Da amizade restou apenas um livro; livro  de vez em quando folheado. Nunca fiz perguntas...talvez nem hajam perguntas a serem feitas...deixei lacunas diante do silêncio. Queria saber o porquê de ter acreditado em mentiras que apenas se tornariam verdades anos depois. Jamais passaria pela minha cabeça alguma possibilidade da hipótese de uma mentira contada, se tornar verdadeira algum dia na minha vida. Não trabalho com hipóteses muito menos com possibilidades delas, busco sempre o mínimo de certeza. Apesar de aplicá-los, não gosto de achismos, afinal, quem acha alguma coisa na verdade não acha nada.

Mas ela preferiu assim...me deixar a certeza de que em amizades há Perdas e Ganhos. De vez em quando a vejo em site de relacionamentos virtuais...eu a vejo...ela me vê...e ficamos assim. Sem cobranças, sem perguntas, sem certezas, apenas fazendo parte da vida de uma e de outra - mesmo que seja virtual.

Sei que ela está bem. E ela sabe também que estou bem também. Dificilmente sinto falta de ex-amigos, pois sou a primeira a deletá-los e excluí-los, principalmente os sanguessugas. Mas tem gente que a gente não deleta, não exclui, não apaga...ainda são importantes, mas cada um no seu quadrado.

 

 

 

 

 

 

5 comentários:

Ela disse...

Tem sim, pessoas bem assim...
E elas marcam, de uma forma ou de outra, marcam!

marcelo disse...

Beth, lindo esse texto...desarvorada lágrima ou conformida expressa...não gosto de ser ex...nem expert em nada...gosto de ser e de ter...odeio silêncio prá mim é a palavra que mas doi a palavra n~so dita...e pior ainda quando agente pergunta e a pessoa não tem a coragem de responder...iche mexeu fundo esse seu texto!

bjs bjs e boa semana!

Anônimo disse...

E as pessoas continuam passando por nossas vidas por algum motivo. Ainda bem que essa deixou um livro que você ainda fica folheando.

Beijão
Pedro

Julie disse...

Eu vejo pessoas na minha pagina. Elas passam, eu so vejo sua foto. Vejo como inexorabilidade da sua mascara. Sabendo que me é indiferente. Mas a vejo passar e sei que se interessa por mim e, eu, em minha orgia de indiferença. E ela, fingindo ser uma indiferença-interessada em saber como estou, como vou, como fiquei, como está...Algo que interessa por pura inveja de nao "SER".

AMEI O TEXTO. BELISSIMO!!
BJS TE AMO!! AMIGA QUERIDA!

adao braga disse...

Vez ou outra uma folha amarelada, um cartão manchado nos tras aquela lembrança e tais perguntas.

- è a nossa máquina do passado.

Postar um comentário

Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.
(Oscar Wilde)