Pelas mãos do artesão

|




No texto anterior falei daquele alguém, que só de recordações, deixam um nó na tua garganta.

- Ei...falei do nó na tua garganta e não na minha!

Engraçado...não guardo esses nós. Jamais passaria a vida sem que alguém soubesse que naquele instante, apenas naquele instante, ele era importante. Até mesmo àqueles para os quais suspirava platônicamente sabiam da minha existência; muitos, ao final, acabaram sucumbindo ao telefone sem fio das colegas, aos papéis amassados, aos desenhos na folha do caderno, a troca de olhares e aos sorrisos maliciosos no fundo de um pátio de colégio durante as aulas de educação física. Sucumbiam ao meu platonismo na mesma velocidade do meu desencanto. Gostava mais do platônico; talvez pelo simples descompassar de um membro cardíaco que logo para de bater. Pelo simples saber de que não seria para sempre. A magia era quebrada quando havia a reciprocidade.

Alguém que não guardou pedaços de mim como lembranças, ficou. Talvez, seja alguém que saiba aproveitar os cacos de mim e deles fazer lindos mosaicos. De meus cacos, virou o artesão do pior e do melhor de mim...

6 comentários:

Adao Braga disse...

Kátia sempre admirou a maneira como vivo. Ela as vezes repete:

- Eu queria ser igual a Adão que nada incomoda. Nada tira a paz dele. Se não tá do jeito dele, ele deixa para trás, como se nunca existisse.

É muito bom, não ter nada atrapalhando, nenhum nó na garganta, nem nó pelas costas, nem assuntos não concluidos.

Um cheiro, e bom domingo!

Ela disse...

E saber que as pessoas sempre montam mosaicos da gente, que ficam gravados na alama.
Alguns coloridos e brilhantes, outros, nem tanto.
Importante refletir sobre a arte que inspiramos.
abraço

Renata Emy disse...

Olá Beth!
Obrigada pela msg de aniversário!
Tenha uma ótima semana!
Beijos

Luma disse...

Quando o prazer da conquista envolve somente um e a outra parte tende a levar a brincadeira à sério, não sobra nostalgia, sobra somente mágoa. Não sei se os cacos são mágoas. Um mosaico de mágoas, seria demais, nao? Boa semana! Beijus

Beth disse...

Adão Queridão = Acho que sabemos não deixar nós entalados na garganta. Será ???

Ela = e nós seremos humanos somos arte pura...diria meio surrealista.

Renata = Feliz aniversário novamente

Luma = Não mágoas, diria cansaço. Ai alguém te olha e resolve que do jeito que está ele aguenta. :) Mágoas não...jamais...nunca...!!! Acho que mais causei mágoas do que recebi...mas se as tive, então passaram e não foram tão importantes a ponto de deixarem nós. Tudo passa!!

beijos a todos do fundo do meu coração

t3t3bailarina disse...

Que belissimo texto: Minha garganta doí ainda...aquele menino que levantara a bola e tentara me acertar, para chamar minha atençao...

Existem sim, nós na minha garganta.

Postar um comentário

Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.
(Oscar Wilde)