Máscaras




Sorriam máscaras!
Sob luzes e aplausos
de cansadas faces,
olhos atentos,
em mãos extasiadas.

Choram as máscaras!
Quando o show termina.
Refletindo em espelho,
rostos pálidos e turvos
em finos traços borrados.

Tira-se a máscara,
de um personagem já morto.
Amanhã é outro dia,
com novo público, eternos aplausos.
Ao final?
Restarão os velhos lamentos.

(by Beth Santana)


Estava relendo meu espaço de poemas, minhas criações e entranhas. De vez em quando postarei algumas criações minhas por aqui também - gosto de reler-me, aprendo sempre a recriar-me, renascer para o mais emotivo de mim.

Meu espaço de poesia? Visitem: Ser ou Não Ser...? Sou...

O título do blog é um exercício de um outro ser mais sensivel e romântico, que eu mesma desconhecia que existisse.

3 comentários:

Julie disse...

Sempre soa do meu intimo uma frase que repito sempre aos proximos: Minha verdade me difama. Para os outros era preferivel as mascaras ao me ver na minha doce e insana loucura. Da lucidez sensata e difamada por alguns.
Lindissimo texto. Magnifico!!

Adao Braga disse...

Eu me lembro deste... e lembro=me que citei Sto Agostinho, ou não? Vou conferir!

Sucesso a caminho disse...

Sou completamente apaixonada por essa imagem. Vc saberia me dizer a quem ela pertence? Gostaria de usa-la. Obrigada.

Postar um comentário

Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.
(Oscar Wilde)