A qualquer preço


 

 

Há nos seres humanos a tentação de agir “a qualquer preço”. Um candidato  à Prefeitura do Rio de Janeiro (derrotado) afimou em toda a campanha que não queria vencer “a qualquer preço”. É um reflexão importante. Muitos de nós tentamos, “a qualquer preço”, preservar o casamento, manter o emprego, ser promovido, ganhar o jogo de futebol, bater os indices de audiência, vernder mais revistas, passar numa prova, sair vitorioso numa eleição, lucrar mais, enriquecer. Não vamos nos iludir: “a qualquer preço” é um preço alto demais.

(Ruth de Aquino, diretora da sucursal da Revista Época no Rio de Janeiro na coluna Nossa Antena)

3 comentários:

Ela disse...

Eu concordo com você e com este candidato.
A qualquer preço é caro demais!

Paulo Tamburro disse...

Oi Beth, leio sempre e COMENTO nas colunas da Ruth de Aquino.Você está de parabéns pelo bom gosto.Em meio a esta enxurrada de jornalistas e colunas mambembes e chulas a dela é uma da melhores.E o seu blog continua B-E-T-H !

adaobraga disse...

quem vai a "qualquer preço" paga um "preço qualquer" por algo, descobrirar que pagou muito ou vendeu-se por pouco!

Postar um comentário

Se você não consegue entender o meu silêncio de nada irá adiantar as palavras, pois é no silêncio das minhas palavras que estão todos os meus maiores sentimentos.
(Oscar Wilde)